Logística é um termo muito comum no âmbito empresarial hoje em dia, mas muitas pessoas, inclusive profissionais da área, ainda não sabem exatamente o que significa e nem a sua representatividade. 

 

E se há dúvidas em relação ao conceito da palavra, certamente as dúvidas continuam em relação à aplicação prática desta área, à sua importância para as empresas e para os consumidores, e à abrangência gigantesca dos seus princípios, afinal, tudo no mundo passa por algum processo logístico. Nós mesmos, como pessoas comuns, temos diversos “processos logísticos” acontecendo em nossas vidas o tempo todo.

 

Outra coisa que muitos não sabem é que a logística é dividida em 4 grandes áreas, que possuem suas particularidades mas se complementam e estão presentes em todas as empresas.

 

Este artigo vai trazer tudo isso e muito mais sobre a logística. Sua origem, conceitos, aplicações e uma descrição completa dos 4 tipos de logística, o que vai dar uma noção da real importância desses conhecimentos para o mundo.

A origem militar da logística

A palavra “logística” tem origem no idioma grego, significando uma junção de conceitos de lógica e cálculo.
 
Inicialmente os conceitos e habilidades de logística foram desenvolvidos para as guerras. Isso falando da Grécia antiga, dos primeiros grandes impérios. Para se ter vantagem competitiva naquela época, era necessário ser mais inteligente que seus oponentes. Dessa forma, muitos conceitos estratégicos foram desenvolvidos nesses períodos.
 
Como as batalhas eram em locais distantes, estratégias em relação à forma de deslocamento e a gestão de recursos como alimentos, equipamentos e armas foram se tornando diferenciais cada vez mais importantes entre os exércitos.
 
As primeiras necessidades logísticas a nível estratégico foram então sendo criadas. Definição de rotas ideais e seguras, armazenamento dos recursos vitais, distribuição dos suprimentos, estavam entre os principais pensamentos dos gestores das tropas.
 
Passado muito tempo e após muita evolução em vários conceitos logísticos, já sendo entendidos como uma ciência, tiveram novamente fins militares.
 
Durante a Segunda Guerra Mundial a logística começou a se destacar como grande promovedora de vantagem competitiva. Nisso, se observou não apenas uma área obrigatória para as empresa, mas sim, uma área que poderia trazer grande redução de custos e, garantindo-se a receita, permitiria a maximização dos lucros. 
 
A partir de então, o pensamento empresarial voltado para atividades rápidas, organizadas e de baixo custo em relação aos suprimentos passou a ser um grande diferencial competitivo entre as empresas. Quem entendeu bem isso, se fortaleceu muito no mercado.

Afinal, o que é logística?

De modo bem geral e abrangente para qualquer área da vida, logística é o conjunto de operações estratégicas realizadas para se atingir um objetivo. Tudo o que é necessário para garantir que um projeto seja realizado com sucesso.
 
Ou seja, no seu dia a dia você usa vários conceitos logísticos pois sempre está realizando tarefas para atingir um fim maior. Nem que seja pensar no que comprar no mercado hoje para fazer um almoço em família com sucesso no domingo, tentando se manter dentro do orçamento.
 
Conceitos de armazenagem dos itens comprados, transporte para a sua casa, preferências dos seus convidados, tempo e dificuldade para a preparação de cada prato no dia do almoço e custo para compra e preparação. Isso é logística, meu caro!
 
Voltando ao ambiente empresarial, a logística de uma empresa está diretamente ligada à gestão dos suprimentos necessários para o funcionamento da mesma e para a conquista de receita. Ou seja, todas as movimentações de matérias-primas, transformação em produto final, armazenamento, transporte, compra dos insumos, processamento de pedidos, distribuição para os clientes, e muitas outras atividades. 
 
Abrange toda a vida do produto, desde a origem da matéria prima até o uso/consumo do produto final. E ainda vai além, como na logística reversa que trata o produto após o consumo. Isso será melhor explicado nos próximos tópicos.

A importância da logística integrada para as empresas

Quando se fala na importância de qualquer área para uma empresa, estamos sempre falando das boas práticas nessa área, afinal, ela só se torna importante se for encarada como tal, e se forem realizados esforços para melhorias e manutenção do alto nível de qualidade.
 
Com a logística é a mesma coisa. A importância dela se dá em boas práticas, e aí entra a logística integrada.
 
Antigamente era mais comum e aceitável que essa área trabalhasse separadamente, com suas subáreas trabalhando individualmente. Hoje em dia isso é impensável para uma empresa que deseja se fortalecer no mercado. 
 
A integração entre as diversas etapas é extremamente essencial para que o todo esteja alinhado e seguindo para os mesmos objetivos, consumindo os mesmos recursos e utilizando o mesmo tempo.
 
Este resultado final gerado a partir da logística com integração é um resultado com valor agregado muito maior. Todas as etapas trabalharam em total controle e eficiência para garantir, tanto na teoria como na prática, o melhor resultado possível. 
 
A integração deve ser clara entre todos os setores e etapas. E nisso se fala em comunicação, gestão, fluxo de informações, transparência dessas informações para todos os envolvidos, uso de tecnologias atualizadas para garantir a eficiência dessas informações, utilização de métricas para mensurar o desempenho de cada etapa e estipular metas para seguir sempre melhorando, entre outras ações.
 
Com tudo isso, se atinge um nível de trabalho excelente. Por consequência, se conquistam mais clientes e os tornam cada vez mais satisfeitos. Portanto, a logística bem alinhada e eficiente pode transformar tudo em uma empresa, até mesmo a imagem que o mercado possui dela.

Os tipos de logística

A logística é uma área muito ampla do mundo empresarial. Portanto, analisando como ciência e para melhorar o aprendizado e desenvolvimento dos profissionais e da própria área, foi separada em 4 tipos básicos. 
 
São eles: logística de suprimento, de distribuição, de produção e reversa. Todas essas subáreas da logística têm os seus objetivos específicos dentro da Organização, cada uma sendo responsável pela sua parte e importantes no somatório final dos resultados. 
 
Ou seja, ambas se complementam e permitem que a empresa tenha ótima eficiência em sua estrutura logística, é claro, se desempenhadas com boas práticas e integração.
 
Então, dadas as devidas importâncias para essas subdivisões da logística, vamos entender melhor o universo de cada uma delas?

Logística de Suprimento

Uma das questões mais essenciais e importantes de uma empresa quando se fala em logística é o de garantia de suprimento.
 
Ela trabalha diretamente com o fornecimento de matérias-primas para os produtos e materiais gerais para o operacional. Ou seja, planeja e gerencia tudo o que é necessário para a manufatura de um produto, incluindo ainda fornecimento de outros materiais essenciais para o funcionamento da empresa, como materiais administrativos ou de limpeza, por exemplo.
 
Esta área da logística garante que a quantidade de suprimentos e o fluxo de materiais estejam sempre de acordo com a demanda. Estes recursos precisam estar disponíveis no local e horário solicitado.
 
Nesse momento, trago o conceito de cadeia de suprimentos, o qual é extremamente importante para a integração da área logística das empresas e se relaciona diretamente com a área da logística de suprimentos.
 
A cadeia de suprimentos é entendida por uma rede interligada de negócios. Esta rede engloba todas as operações de uma empresa, todo o ciclo de um produto ainda sob a responsabilidade da empresa.
 
Sendo assim, abrange todo o suprimento de recursos necessários para o funcionamento das operações, desde o armazenamento da matéria-prima até a entrega do produto ao consumidor final.
 
Dessa forma, a cadeia de suprimentos é entendida como o conjunto de atividades que envolve desde os processos iniciais, como compra de produtos e matéria-prima, passando pelos intermediários como armazenamento, movimentação interna, embalagem, e finalizando com transporte e distribuição final, até chegar ao consumidor.
 
As principais responsabilidades dos funcionários deste setor são o controle de estoque, gerenciamento do armazenamento, preservação dos materiais, controle do fornecimento e uso desses materiais pelos funcionários que os solicitam, e até o descarte dos materiais após o uso. Além disso, precisam sempre apontar as movimentações para cada solicitação, como entradas e saídas dos estoques.
 
Especialmente para esses processos, um sistema de gerenciamento de estoques WMS (Warehouse Management System) é extremamente importante para a empresa manter o controle de todas as movimentações e minimizar os erros, muitas vezes causados por operações manuais lentas e antiquadas dentro do estoque. Com o WMS, a empresa garante eficiência máxima em todos os processos logísticos de armazenagem.

 

Se você quer conhecer e entender um pouco mais sobre os sistemas WMS, como eles funcionam e ajudam as empresas, confere o nosso artigo específico sobre os sistemas de gestão de estoque. Garanto que vai se surpreender. E agora vamos continuar com os tipos de logística.

Logística de Distribuição

A logística de distribuição é composta por várias atividades dentro das fases finais do ciclo logístico, ou seja, de quando as mercadorias estão prestes a sair da fase de armazenagem e partir para os destinos seguintes até o consumidor final.
 
Dentre as atividades estão: manter a quantidade correta de mercadorias no estoque, baseando-se sempre nos dados de controle de estoque e ponto de abastecimento; observação dos prazos de validade e direcionamento correto para cada cliente baseando-se na sua parametrização de validade; formação das cargas e conferência após expedição; roteirização das entregas com controle de fretes, entre outros tipos de monitoramento.
 
Além de tudo isso, o funcionário ainda é responsável pela conferência completa dos materiais e equipamentos de distribuição, à exemplo das empilhadeiras, paleteiras, estruturas de levantamento de carga, vans e caminhões, para garantir que esteja tudo correto, alinhado e seguro.
 
De modo geral, a logística de distribuição é a última que acontece ainda em ambiente empresarial. Também a que está mais próxima do consumidor final, garantindo que os produtos cheguem no ponto de distribuição final para o consumidor.
 
Portanto, esta área da logística tem uma grandiosa importância. Como é a área que mais se aproxima do cliente, é também a mais responsável por passar a percepção de valor que o cliente precisa ter para gostar do produto/serviço. Afinal, um atraso no envio, ou mesmo a chegada de um produto danificado, podem ser cruciais para a imagem da empresa e a perda do cliente.

Logística de Produção

Como o nome já diz, a logística de produção é a principal responsável pelo abastecimento dos postos de trabalho dos operadores e das máquinas, fornecendo toda a matéria-prima e os materiais necessário para a produção dos itens nas fábricas. 
 
Este tipo de logística não trata apenas da produção propriamente dita, mas também de outros processos internos de cada ramo industrial, como: montagem, embalagem, cura, limpeza, pintura, controle de qualidade, inspeção, entre outros.
 
Sendo assim, é a parte da logística que atua mais diretamente com o produto, as máquinas e os operadores no chão de fábrica. Isso vai desde o abastecimento das máquinas com matéria-prima, passando pelos estoques e armazenamentos intermediários, dos produtos ainda em processo, e finalizando na disposição dos itens recém produzidos no estoque de produto acabado.
 
Além de controlar todo o fluxo de materiais dentro da fábrica, a logística de produção ainda cuida do fluxo de informações dos materiais e do produto. Ou seja, emite todas as requisições e ordens internas de movimentação, entrada, saída, expedição, entre outras, que variam conforme o funcionamento da empresa. 
 
Este tipo de logística pode também atuar em nível mais estratégico e mercadológico, trabalhando com previsão de demanda e, com isso, criar um planejamento de curto, médio e longo prazo para a produção.
 
Por meio desse planejamento, é possível evitar ao máximo possíveis desperdícios da produção, comuns neste meio. As empresas que conseguem desenvolver um bom planejamento de produção e reduzir os desperdícios produtivos estão muito à frente das concorrentes quando se fala em competitividade. Por isso a tamanha importância deste tipo de logística, trabalhando diretamente com o produto essencial de cada indústria.

Logística de Reversa

A logística reversa, também conhecida com inversa, é, como o nome já sugere, a parte da logística que trabalha no fluxo “contrário” das outras, no sentido de resgatar, recuperar os materiais e produtos que não possuem mais utilidade para o usuário e destinar á um descarte correto ou até mesmo ao seu reaproveitamento, dando novas funções para os itens.
 
Resumindo, ela pode acontecer das seguintes formas: resgate de matéria prima que não seria utilizada; recuperação de materiais e produtos usados para torná-los úteis novamente, transformando-os em matérias primas para outros processos; e o descarte de produtos usados e quebrados em locais corretos.
 
Esse tipo de logística tem uma forte ligação com a sustentabilidade. É muito importante pela função ecológica da recuperação dos suprimentos e materiais. É a reintegração de mercadorias quebradas, com defeitos, ou mesmo descartadas após o fim da sua vida útil com o usuário.
 
Além da função ecológica, a logística reversa também permite que as empresas gastem menos com matéria prima, pois muitos materiais podem ser reutilizados dessa forma. Então mesmo gerando gastos operacionais com os processos reversos, como exemplo do resgate desses materiais, o ganho pode ser muito maior em redução de custo e desperdícios.
 
Evitando o descarte de produtos em locais inapropriados, a logística reversa traz uma grande causa sustentável que recebe apoio de muitas organizações da área. Essas atitudes também são muito importantes para a empresa idealizadora pois sua imagem no mercado melhora bastante. 
 
As pessoas se sentem bem comprando de empresas que são referência em ecologia, pois é como se elas estivessem de alguma forma ajudando a causa também, da forma delas.

Conclusão

Finalizando tudo o que foi mencionado acima, é possível perceber que a logística é uma área muito ampla e que age diretamente em todos os setores da empresa.
 
Ela não está somente relacionada aos modais de transporte, roteirização, e nem somente ao modelo de armazenagem do estoque. A logística é toda a cadeia de suprimentos de um negócio, ou seja, é tudo.
 
A questão principal é que para um bom funcionamento de qualquer empresa, todos os tipos de logística devem estar presentes, em maior ou menor escala. Deve contar com bons funcionários capacitados e com toda a estrutura necessária para que possam executar todas as tarefas com qualidade.
 
Os 4 tipos de logística podem ser responsáveis por um grande aumento de lucro com redução de desperdícios ou pela perda de capital com o aumento de desperdícios. Por conta disso, deve ter uma boa gestão.
Se ficou interessado em saber mais ou gostaria de tirar algumas dúvidas, entre em contato comigo que estarei pronto para te ajudar como precisar! Pode me mandar um e-mail ou ligar, você que sabe. E não deixe de conferir nossos outros conteúdos e conversar com a gente. Vamos crescendo juntos!
Meu e-mail para contato: nathan.oliveira@dalmark.com.br

O que acha de conversarmos sobre suas dúvidas?

Deixe uma resposta