Todos sabemos que o sucesso de uma empresa depende principalmente de uma boa administração. Não importa qual seja o setor ou tamanho da Organização, a qualidade na sua gestão é a chave para o bom desenvolvimento, competitividade e estabilidade.
 
Também sabemos que é impossível um gestor comandar uma empresa sem ajuda de ferramentas tecnológicas. Ainda mais hoje em dia, onde a corrida tecnológica para atualização dos negócios é o que está definindo as empresas que realmente estão comprometidas com a evolução, e que, por consequência, são mais “confiáveis” para o consumidor investir em seus serviços ou produtos.
 
Dentre as ferramentas tecnológicas para gestão empresarial, a que mais define esse conceito é o ERP (Enterprise Resource Planning), que é um software de gestão integrado que pode controlar todos os processos da empresa e oferecer todas as informações necessárias para a boa tomada de decisão.
 
O ERP é responsável por centralizar todas as informações da empresa, possibilitando o rápido acesso a elas. Também permite a fácil comunicação e integração entre todos os departamentos, como financeiro, distribuição, controladoria, industrial, vendas, compras, patrimônio, estoque, e até recursos humanos.
 
De fato, ter um bom ERP não é mais um diferencial, mas sim uma necessidade. Por conta desse sistema, uma empresa pode falir ou chegar ao topo do seu mercado. Nesse cenário, se torna muito importante a escolha de um software de gestão que compreenda todas as necessidades da empresa e ainda permita a realização de ações nunca antes pensadas, que vão diferenciar das concorrentes.

Falando de segurança dos dados...

Chegamos então em um fator importantíssimo na escolha do ERP: a segurança das informações. Visto como uma tendência mundial, as empresas de todo o planeta investem milhões de dólares em soluções para proteção dos seus dados. Como já comentei em outros artigos do nosso blog, os problemas que uma empresa pode ter com perdas de dados são inimagináveis.
 
Implicam tanto no seu ambiente interno de funcionamento (fluxo de informações e sistemas), como também no dos clientes. A perda de dados importantes devido a acidentes ou invasões no sistema pode literalmente provocar falências ou processos judiciais. 
 
No mínimo, por menor que seja a perda, vai provocar retrabalho de todo o pessoal de TI, falhas no fluxo de informação e desperdícios inimagináveis de tempo e dinheiro. Sem falar das informações que não podem ser recuperadas.
 
Com isso, se torna obrigação das empresas de softwares acompanharem a evolução tecnológica para oferecerem produtos e serviços de ponta em termos de segurança e proteção de dados aos seus clientes. Afinal, proteger os dados é essencial para manter ótimo relacionamento com os clientes e se destacar entre os concorrentes no mercado.
 
O desafio da proteção de dados já faz parte das prioridades dos clientes e dos fornecedores de software de gestão empresarial. Nos resta agora entender qual modalidade de software entrega mais proteção e segurança dos dados: ERP em nuvem (cloud) ou ERP local (on-premise).
 
Portanto, neste artigo você vai entender todas as grandes diferenças entre essas modalidades de ERP em relação à segurança proporcionada. Qual é o melhor para a sua empresa? Qual oferece maior custo-benefício na proteção dos dados? Vamos trazer com clareza todas essas respostas para te ajudar nas tomadas de decisão.

O que é um ERP na nuvem (cloud)?

Os sistemas baseados em servidores na nuvem são executados em uma plataforma de cloud computing. A computação em nuvem é a prática de usar uma rede de servidores remotos para armazenar, gerenciar e processar dados.
 
A grande questão é que os servidores remotos estão hospedados na internet, portanto, esses dados podem ser acessados de qualquer lugar e por qualquer dispositivo, basta ter acesso a internet.
 
Sendo assim, a “nuvem” é um método de gerenciamento dos recursos de TI que substitui data centers privados e infraestrutura local por uma virtual, geralmente de uma empresa terceira, onde todos os dados são disponibilizados online por este provedor remoto.
 
Os sistemas em nuvem oferecem alta escalabilidade, mobilidade, flexibilidades de máquina/dispositivo e localização para acesso, confiabilidade/segurança e alta disponibilidade, já que os usuários do sistema podem acessar de onde estiverem, basta terem conexão com a internet.

 

Se você ficou interessado em saber mais sobre esse modelo de ERP que está tomando o mercado, nós temos um outro artigo que explica o que é computação em nuvem e por que está se tornando tendência nas empresas. Dê uma conferida, é um conteúdo bem completo e tenho certeza de que você vai se surpreender.

O que é um ERP local (on-premise)?

Os sistemas baseados em servidores on-premise são implementados localmente na rede interna da empresa. Ou seja, são hardwares físicos que ficam armazenados internamente nas instalações da própria empresa usuária.
 
Esse modelo não exige acesso à Internet, justamente por contar com a infraestrutura local interna, onde a conexão é efetiva e executada por meio de terminais. Por outro lado, dispositivos fora da rede da empresa não terão acesso aos sistemas.
 
Ou seja, esses ERPs devem ser instalados no local, ficam no hardware da empresa, e todas as suas atualizações e manutenções são mais custosas e dispendiosas do que o modelo de nuvem. O ponto positivo é que entrega mais independência, pois as empresas podem gerenciar todos os recursos e fazer mudanças no sistema sem depender de uma terceira provedora do ambiente.
 
O servidor on-premise oferece uma estrutura bem robusta, onde as principais vantagens são o total domínio e controle sobre o equipamento, a escolha de plataforma, hardwares e softwares utilizados, entre outros detalhes. Ou seja, é o tipo de ambiente no qual a empresas têm total controle sobre suas decisões, assim como também têm total responsabilidade sobre os resultados.

As diferenças entre os servidores em nuvem e on-premise, nos quais os ERPs rodam, são muitas. Tanto no âmbito técnico quanto no estratégico do negócio. Aconselho dar uma conferida no nosso artigo que explica tudo sobre essas diferenças (nuvem e local). Pode ser muito útil para a sua empresa.

E sobre a segurança, qual o melhor tipo de ERP?

Muitas empresas acreditam que manter uma infraestrutura interna com servidores no local para suportarem o ERP é mais seguro. Esta é uma ideia muito antiquada. Aqueles que pensam dessa forma acreditam que por ser um grande hardware físico que está dentro da empresa, vai entregar mais segurança para os dados e informações. É uma ideia de “segurança palpável”, como se estivesse mais seguro “dentro de casa”.
 
É o mesmo que pensar que o seu dinheiro estará mais seguro na sua casa, de baixo do colchão, do que no banco. Ainda existem pessoas que pensam assim, mas elas estão diminuindo e percebendo cada vez mais os riscos dessa mentalidade. Todos sabemos que é muito mais fácil entrar um ladrão na sua casa e roubar todo o seu dinheiro do que o mesmo acontecer em um banco, uma grande instituição que trabalha dedicadamente para garantir a segurança dos seus bens.
 
E não falando apenas de roubo, mas também riscos físicos, acidentes, incêndios, alagamentos, perdas inevitáveis, entre tantas outras coisas que estamos vulneráveis se nós mesmos armazenamos nosso dinheiro. No armazenamento de dados é mesma situação.
 
Certamente representa um grande risco guardar seus dados em dispositivos físicos. Basta ter um único arquivo infectado no computador para que o restante seja contaminado. Essa ameaça pode acontecer das mais variadas formas, como um download de arquivo sem procedência, um clique em anúncio da internet, um e-mail com vírus, e até mesmo durante a instalação, atualização ou manutenção do ERP, abrindo brechas para invasões no sistema.
 
A imensa maioria dos ERPs do mercado possuem origem local, on-premise. Ou seja, são softwares instalados localmente no servidor físico da empresa. São ferramentas muito robustas, que tiveram anos de desenvolvimento até chegarem onde estão. Em muitos casos nem existia a tecnologia de nuvem com servidor remoto na época em que começaram a ser desenvolvidos.
 
Por conta disso, há ótimas soluções hoje em dia que virtualizam o ERP tradicional, o transformando em uma tecnologia na nuvem. São as provedoras de serviços em nuvem que fazem esse trabalho, e acabam cuidando de toda a parte de segurança, atualização e disponibilidade desses serviços também.
 
Segundo a Sky.One, uma grande provedora brasileira de serviços em nuvem e parceira da Amazon Web Services e da Dalmark Systems no SysTeam ERP, essa virtualização ocorre quando o software ERP é executado efetivamente na nuvem e a única transmissão feita entre o usuário e o software ERP remoto são as telas apresentadas. 
 
Qualquer código malicioso que possa infectar o computador do usuário não terá o acesso regular ao software ERP remoto, o que significa que não poderá acessar facilmente a rede. 
 
Ou seja, a virtualização do ambiente do ERP em uma plataforma na nuvem cria uma forte barreira isolando os computadores locais do ERP remoto, e protegendo seu ambiente de nuvem com uma redução gigante da exposição aos ataques.
 
No ambiente de cloud computing os métodos de autenticação são muito fortes, com  filtros de firewall e criptografia de rede limitando a exposição e mantendo o ERP totalmente protegido. Há ainda o isolamento dos arquivos baixados e do e-mail do usuário com o sistema, o que aumenta a proteção contra os vetores de ataque comuns com essa adição de outra camada de isolamento.
 
Ou seja, no ERP na nuvem os armazenamentos de informações são em servidores localizados fora da empresa e em locais diferentes. Essas empresas provedoras são especializadas em serviços em nuvem, seguem à risca todos os protocolos internacionais de segurança cibernética, são certificadas e auditadas constantemente, se responsabilizando em contrato pelo total sigilo e proteção dos dados.
 
Os grandes especialistas da área afirmam que não se perdem informações que estão na nuvem. A chance disso acontecer é praticamente nula. Os servidores são programados para realizarem backups periódicos, permitindo uma fácil restauração do banco de dados a qualquer momento.
 
A segurança da informação exige constante atualização tecnológica, grandes investimentos em hardwares e também na segurança patrimonial. Portanto, o mais inteligente a se fazer é entregar todos esses custos e responsabilidades para quem realmente está preparado para isso, e deixar a sua empresa cuidando do que é mais importante para ela, que são os serviços/produtos geradores de receita.
 
Em meio a tudo o que foi falado, é imprescindível que se procure um bom fornecedor de ERP na nuvem, para garantir total confiança e segurança em seus serviços. Tais data centers contam com tecnologia de ponta e estão em constante atualização e manutenção. Dessa forma, os dados da sua empresa não poderiam estar melhor armazenados.
Se ficou interessado em saber mais ou gostaria de tirar algumas dúvidas, entre em contato comigo que estarei pronto para te ajudar como precisar! Pode me mandar um e-mail ou ligar, você que sabe. E não deixe de conferir nossos outros conteúdos e conversar com a gente. Vamos crescendo juntos!
Meu e-mail para contato: nathan.oliveira@dalmark.com.br

O que acha de conversarmos sobre suas dúvidas?

Deixe uma resposta